quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

FUTEBOL 72 - O GOL QUE PELÉ NÃO FEZ!!

FUTEBOL 72 - O GOL QUE PELÉ NÃO FEZ!!VAI A LEILÃO!



Futebol 72, assim  foi intitulada a obra de João Calixto que retrata uma cena de futebol da copa de 70 no México. A obra - um óleo sobre tela medindo 38x46 cm; marca o início dos estudos de João Calixto de Pré - Hyperrealismo técnica pela qual é reconhecido por sua excelência. Futebol 72 expressa o conhecimento artístico e técnico de João em pinceladas fortes, seguras e livres, junto a uma paleta de cores bem estruturada e uma composição complexamente "simples" que nos revela a dinâmica do personagem central. A cena retrata a partida realizada na copa do México entre Brasil e Inglaterra e o personagem central nada mais nada menos dá referência ao nosso Rei Pelé após cabecear a bola em um lance que quase finalizou em um fantástico gol. Esta cena marcante levou os jogadores do Brasil a comemorar antes de perceberem que a bola havia passado de raspão na trave. 
A obra foi restaurada e certificada por Celso Calixto Rios em 22 de Dezembro de 2015 e está disponível a aquisição na Tableau Arte & Leilão. O leilão acontecerá no dia 10 de Março de 2016 o catálogo já está disponível.
Façam seus lances nesta obra histórica.
Site Tableau Leilões - http://www.tableau.com.br/leilao/497.php

terça-feira, 12 de janeiro de 2016

PRÉ-HYPERREALISMO DE JOÃO CALIXTO - FUTEBOL 72





PRÉ-HYPERREALISMO DE JOÃO CALIXTO - FUTEBOL 72

João Calixto artista nascido e falecido na cidade São Paulo, é um expoente das artes no Brasil das décadas de 60/70. Formado pela Escola de Belas Artes de São Paulo foi considerado o mais importante pintor Hiperrealista do Brasil; suas obras se encontram em vários museus e em coleções particulares.
Esta obra restaurada por seu sobrinho Celso Calixto Rios, denominada Futebol 72 é um óleo s/ tela mede 38,0 x 0,46,0cm e retrata um momento de uma partida de futebol entre a seleção brasileira e possivelmente a seleção inglesa. É provável que o jogador em primeiro plano seja Pelé. /a Obra está assinada no CSE datada de 1972.
Possui expertise e Laudo de restauro fornecidos por Celso Calixto Rios.

terça-feira, 24 de novembro de 2015

CISNE BRANCO - NAVEGANDO EM ESCALA POR CELSO CALIXTO

CISNE BRANCO - NAVEGANDO EM ESCALA POR CELSO CALIXTO




O mais belo hino brasileiro em minha opinião é o CISNE BRANCO da marinha brasileira. Em sua homenagem foi construído o Navio Veleiro Cisne Branco e teve sua quilha batida em 09 de Novembro de 1998. Produzido pelo estaleiro Damen Shipyard em Amsterdã, o Navio Veleiro tem uma embarcação irmã que foi feita ao mesmo tempo de nome Stad Amsterdam. O Cisne Negro foi incorporado a nossa armada em 09 de Março de 2000, saído de Lisboa e percorrendo o mesmo trajeto que Pedro Alvarez Cabral fez ao Brasil. Este evento se deu por conta da comemoração dos 500 anos de descoberta do Brasil. O Navio Veleiro Cisne Branco é chamado de Embaixada Flutuante por sua função diplomática através dos mares. 
Celso Calixto, artista brasileiro de uma tradicional família de artista (bisneto de Benedito Calixto), fez uma belíssima viagem em escala ao universo da embarcação Cisne Branco criando uma maquete detalhada e perfeita, obra realista que mostra a elegância e nobreza da nossa charmosa embaixada flutuante.
                              Navio Veleiro Cisne Branco - original

                                  
                                              MAQUETE













Vídeo - https://www.youtube.com/watch?v=tnNAgLOt230

Caracteristicas

  • Comprimento total: 76,00 m 

  • Boca (largura): 10,50 m

  • Calado: 4,80 m

  • Deslocamento: 1 038 t

  • Altura do mastro grande: 46,40 m

  • Armação: galera

  • Área vélica (máxima): 2 195 m²

  • Velas redondas: 15

  • Velas latinas: 10 (9 Stay sails - 1 Spanker)

  • Velas auxiliares: 6 (Stun Sails)

  • Vela de mau tempo: 1

  • Velocidade máxima a vela: 17,5 nós (32 km/h)

  • Propulsão auxiliar: 1 motor diesel 1001hp a 1800 rpm (equipado com Bow-Thruster.)

  • Velocidade máxima a motor: 11 nós (20 km/h)

  • Sensores: 1 radar de navegação Furuno FR 1510 Mk-3

  • Emprego: representação e instrução

Tripulação

  • Comandante; Capitão-de-Mar-e-Guerra
  • Oficialidade: 9
  • Guarnição: 41
  • Tripulantes em treinamento: 31

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

OBRAS CLAUDEMIR LARA/D'LARA NA AM LEILÕES

OBRAS CLAUDEMIR LARA/D'LARA NA AM LEILÕES

Sou um artista errante no melhor e em todos os sentidos aos quais a palavra pode conotar. Minhas obras se expressam livremente e portanto devem ser adquiridas livremente. Por isto, escolhi o leilão virtual que as acolhe e possibilita o acesso a todos que querem adquirir um Claudemir Lara/D'Lara. Caso queiram dar seus lances entrem no site da AM Leilões e boa sorte.

Claudemir lara/D'Lara

Estes são os links das obras.


http://www.amleiloes.com/peca.asp?ID=1187984&ctd=126&tot=133&tipo



http://www.amleiloes.com/peca.asp?ID=1187949&ctd=1&tot=132&tipo=



http://www.amleiloes.com/peca.asp?ID=1187951&ctd=9&tot=132&tipo=



http://www.amleiloes.com/peca.asp?ID=1187952&ctd=17&tot=132&tipo=



http://www.amleiloes.com/peca.asp?ID=1187954&ctd=38&tot=132&tipo=



http://www.amleiloes.com/peca.asp?ID=1187982&ctd=64&tot=132&tipo=



http://www.amleiloes.com/peca.asp?ID=1187986&ctd=80&tot=132&tipo=



http://www.amleiloes.com/peca.asp?ID=1187983&ctd=88&tot=132&tipo=



http://www.amleiloes.com/peca.asp?ID=1187985&ctd=124&tot=132&tipo=

terça-feira, 14 de julho de 2015

FILE UMA E-MOÇÃO TECNOLÓGICA

FILE UMA E-MOÇÃO TECNOLÓGICA




A 16ª edição do FILE (Festival internacional de arte eletrônica) instalado no meio do coração da cidade de São Paulo, mais especificamente no prédio da Fiesp da Av. Paulista; tem como tema "The new e-motion". Pensar em uma emoção formatada pela vivência na tecnologia pode a princípio assustar e parecer um tanto distante; mas, na realidade a emoção TI (tecnologia da informação) está presente a cada instante de nossa vida e cultura contemporâneas. O FILE, muito mais que uma mostra do pensamento tecnológico visto pelo prisma das Artes Visuais; nos propõe um universo sensorial ampliado por mídias tecnológicas diversas. O que aparentemente parece um grande playground para seres viciados em tecnologia, abre questões importantes sobre um mundo em que alcançamos novas dimensões físicas, intelectuais, virtuais, reais e principalmente emocionais. Com ares renascentistas, podemos nos auto-projetar em perspectivas virtuais de presente, passado e futuro bem como reavaliar questões do novo olhar humano sobre comunicação sensorial e extra-sensorial. O que somos como presença física e material expande-se a infinita potência através das obras vistas no File. Um mundo que faz adultos crianças e crianças verdadeiros gênios  rompendo barreiras de tempo e espaço. Além da exposição, são oferecidos workshops e palestras as informações podem ser obtidas pelo site do evento - www.file.org.br  . 

Importante lembrar que esta é uma visita agradável a família e mesmo as pessoas avessas a toda esta cultura TI vale experimentar e perceber que mesmo alheio as "modernidades" tecnológicas estamos totalmente inseridos  a esta realidade. Vale lembrar o genial Stanley Kubrick que infelizmente não teve tempo de realizar seu mais ambicioso projeto o - Inteligência Articifial. Nos resta agora a questão - somos capazes ou estamos prontos para experiênciar uma emoção tecnológica? Vá a FILE e tente descobrir.


SHIRLEY

Um dos eventos inseridos a File 2015, foi a apresentação do filme "Shirley - Visions of reality"  que contou com apenas duas sessões. O filme dirigido por Gustav Deutsch, tem como base em 13 obras de Edward Hopper. Com uma produção impecável, o diretor traz a vida a personagem retratada nas obras de Hopper recriando as telas em suas cenas. a personagem Shirley aborda questões relevantes a vida de uma mulher que pensa sua época e existência; da política a sexualidade passando pela crise existencial natural ao ser-humano geral. Um filme reflexivo repleto de referências culturais e estéticas o que o torna uma bela obra intelectual e artística.

Serviço

FILE

Classificação : Livre (workshops: 16anos)
Entrada : Grátis

Data : 16 de junho a 16 de Julho
Local : Centro Cultural Fiesp - Ruth Cardoso Av. Paulista 1313
Visitação : de segunda a sexta-feira
Horário: das 10h às 20h
Agendamento de grupos: 11 3146 7439 / 7396

quarta-feira, 27 de maio de 2015

AFRICA/AFRICANS; QUEM SOMOS!?



Museu Afro Brasil 
foto divulgação

AFRICA/AFRICANS; QUEM SOMOS!?



Um continente nação formado por vários países, diversos dialetos e ainda hoje "desconhecido" por muitos; este pode ser um dos perfis informais da África, mãe continente que inspira a imaginação pelos seus mistérios e encantamento. A chamada África Negra (termo usado pela densidade de suas florestas), é considerada a mãe da humanidade e de nossa cultura geral - Somos ou não todos Africanos? - independente da questão possivelmente polêmica, o fato é que este continente é e sempre foi matéria para a essência do pensar cultural universal influenciando a arte, a psicanálise e a geopolítica mundial. Utilizando de um conceito psicanalítico, a África poderia talvez ser comparada a uma espécie de "ID" universal alimentando informalmente nossas pulsões criativas e culturais; de uma forma ou outra todos temos um certo "gene africano" que nos remete a uma nação interior denominada África; esta sensação pode ser conferida no Museu Afro Brasil criado e dirigido pelo renomado artista e curador brasileiro Emanoel Araújo. O museu tem como principal característica, identificar raízes de uma brasilidade múltipla permeada pela influência Afro  em nossa estrutura sócio-cultural. É possível portanto perceber através da exposição permanente do acervo formado por peças históricas do cotidiano brasileiro e de obras de arte, a composição de um rico patrimônio cultural material e imaterial que permaneceu escondido por longo tempo por conta de  um velado preconceito às nossas verdadeiras origens.  

O Museu Afro Brasil cumpre então, um importante papel ao alimentar uma identidade coletiva que expande-se da sua base histórica para reflexão humana atual através da produção contemporânea de arte. Neste sentido, o museu promove exposições temporárias importantes tanto no âmbito estético quanto ético; caso da exposição África Africans que teve sua abertura esta semana e pode ser vista até Agosto deste ano.

ÁFRICA AFRICANS

A exposição África Africans, conta com 100 obras de mais de 20 artistas em diversos suportes e linguagens e outras obras de origem africana pertencentes ao museu e a coleção particular de Emanoel Araujo, diretor curatorial do Museu. Ao visitar a exposição podemos ver através das obras uma África além do imaginário comum, ampliando nossa percepção a questões estéticas e sociais atuais levantadas por artistas de origem africana (nascidos ou não na áfrica). Engana-se porém quem acredita que vai encontrar um discurso sobre miséria ou questões raciais mais aprofundadas,  temos aqui um diálogo muito mais amplo de uma África que se enfrenta e busca caminhos para reformular-se. Temas como apropriação da cultura colonial pelo universo pós-colonial, industrialização, meio-ambiente, filosofia e claro também questões sociais são recorrentes na mostra. Obras em destaque:


- THE BRITISH LIBRARY  autor: Yinka Shonibare MBE (Nigeriano britânico)


- SKYLINES autor: El Anatsui (Ganês)


- CLOUD EARTH TWIST autor: Bright Ugochukwu Eke (Nigeriano)


INFORMAÇÕES:

www.museuafrobrasil.org.br



                           SKYLINES autor: El Anatsui (Ganês) 
                                         foto divulgação

      EGG FIGHT  autor: Yinka Shonibare MBE (Nigeriano britânico) foto divulgação



      THE BRITISH LIBRARY  autor: Yinka Shonibare MBE (Nigeriano britânico)
                                        Foto divulgação


         CLOUD EARTH TWIST autor: Bright Ugochukwu Eke (Nigeriano)
                                      Foto divulgação

Viver a Vida / Life to live

Viver a Vida / Life to live
Claudemir Lara - foto editada por D'Lara.'.